Pages

ONZE JOGADORES A SEGUIR EM 2022

jan. 1, 2021 0 comments

AVANÇADOS GOLEADORES, MÉDIOS TALENTOSOS E EXTREMOS ENDIABRADOS. 2022 PROMETE CONTINUAR A TRAZER PARA A RIBALTA JOVENS TALENTOS NÓRDICOS QUE MUITO PROMETEM. EIS ONZE JOGADORES QUE AMEAÇAM INCENDIAR OS PRÓXIMOS MESES

2022. Ano novo, vida nova. Como sempre, a expetativa é grande no que ao Futebol a Norte diz respeito. Se muitos jovens jogadores de lá irão sair nas próximas semanas rumo a paragens com outra (suposta) grandiosidade, muitos outros se irão revelar e afirmar nos próximos meses. O fascínio de competições alternativas e de mercados futebolísticos vendedores passa muito por aqui: imprevisibilidade. A surpresa e o desconhecido está sempre à espreita e todos os anos acabamos brindados com o aparecimento (cada vez mais comum por estas bandas) de jovens de enorme potencial que prometem assumir-se como figuras do futebol mundial nos próximos anos. 2022 não será exceção. Assim, com maior ou menor surpresa, mais ou menos óbvios, destaco onze jogadores para ter debaixo de olho este ano.

WILLIOT SWEDBERG (HAMMARBY IF)
Filho de antigos futebolistas (o pai chegou a jogar no Sporting e a mãe foi uma das melhores futebolistas da história do futebol sueco), o destino estava à partida traçado para Williot Swedberg. Os bons genes correm nas veias do jovem médio sueco que, aos 17 anos, se anunciou ao Mundo do futebol com um golaço (e uma assistência) na estreia profissional frente ao Degerfors IF. Swedberg foi uma das revelações da temporada sueca, agarrando o lugar no concorrido e talentoso meio-campo do Bajen (Aziz Ouattara, Darijan Bojanic, Jeppe Andersen, Abdul Khalili) e fazendo seu o vazio deixado em aberto com a saída de Aimar Sher para Spezia. Internacional jovem por quase todos os escalões suecos aos 17 anos, 2022 promete ser uma temporada de explosão para Swedberg e nem é claro que a comece ao serviço do Hammarby IF. Considerado pelo The Guardian a maior promessa do futebol sueco da sua geração, Swedberg não precisou de muitos jogos na elite para ter meio mundo atrás de si tal o nível de influência que conseguiu em curto espaço de tempo. Um box to box na senda de Kevin de Bruyne, Swedberg impressiona pelo dinamismo, versatilidade e criatividade que emprega ao meio-campo da sua equipa.

AHMED QASEM (IF ELFSBORG)
AHMED QASEM

Ahmed Qasem não precisou de muito para deixar a sua marca na primeira equipa do Elfsborg que, mais uma vez, e de forma surpreendente, lutou pelo título sueco até bem perto do final da temporada. Apesar da concorrência feroz nas alas do conjunto orientado por Jimmy Thelin (Jacob Ondrejka, Rasmus Alm, Jeppe Okkels e Alexander Bernhardsson), Qasem encontrou espaço para se estrear profissionalmente em 2021 e logo nos primeiros minutos da carreira sénior rubricou uma assistência que confirmou o triunfo do Elfsborg frente ao IK Sirius logo à sexta jornada da competição. Qasem viria a participar em seis encontros da equipa de Borås esta época e perante o habitual vai vem de jogadores de um clube sempre vendedor, a subida na hierarquia é bem provável já em 2022. Internacional Sub-17, Sub-18 e Sub-19 pela Suécia, é aos 18 anos um dos jogadores mais entusiasmantes do país polvilhando o seu futebol com irreverência persa. Capaz de jogar em qualquer um dos corredores do meio-campo de ataque, é sobre a direita que se mostra mais diferenciado pela capacidade que tem para procurar terrenos mais centrais e explorar o seu impressionante pé esquerdo e remates de meia distância.

NOAH SHAMOUN (KALMAR FF)
NOAH SHAMOUN

Depois de praticamente ter descido de divisão em 2020, o Kalmar FF assumiu-se como a grande revelação da temporada em 2021. O regresso da lenda do clube, Henrik Rydström, trouxe-lhe futebol de alta qualidade, mas mais do que isso, resultados. O Kalmar terminou a temporada sueca na sexta posição, um sucesso conseguido em grande parte devido aos inúmeros talentos jovens “lançados” por Rydström (Isak Jansson, Carl Gustafsson, Johan Stenmark ou Nils Fröling). Noah Shamoun foi um deles. Aos 17 anos, Shamoun fez a sua estreia no futebol profissional e as boas impressões deixadas ao serviço do Kalmar levaram-no mesmo à seleção sub-20 da Suécia. A saída anunciada de Fröling do clube de Kalmar abre assim a porta à temporada de afirmação de Shamoun em 2022, já depois de ter ganho lugar entre as principais opções de Rydström durante a segunda metade de 2021. Versátil e criativo, Shamoun pode fazer todos os corredores do ataque e até funcionar como médio de ligação entre defesa e ataque, tal como fizera ao serviço do Assyriska IK ainda antes de chegar a Kalmar.

ROONY BARDGHJI (FC KØBENHAVN)
ROONY BARDGHJI

Dois jogos bastaram para que Roony Bardghji colocasse o Mundo a falar de si. O jovem extremo sueco há muito que vinha deixando água na boca de qualquer seguidor do futebol de formação, mas a facilidade com que se afirmou na principal equipa do FC København deixa antever um 2022 arrasador para o jovem extremo de 16 anos. Titular na equipa da capital dinamarquesa assim que foi legalmente possível, Bardghji não sentiu o peso do futebol profissional e rapidamente se estabeleceu como uma das figuras da sua equipa. Tanto que, também com facilidade, se estabeleceu como o mais jovem jogador da história da Superligaen, bem como o seu mais jovem marcador. Bardghji é um record breaker e a probabilidade de também o vir a ser no que à venda mais alta da história do futebol dinamarquês diz respeito, é grande. Provavelmente o maior talento a jogar no futebol nórdico atualmente, Bardghji reencarna Lionel Messi como poucos e é muito nele que se centram as expetativas para o regresso ao título por parte da equipa de Copenhaga. Um talento geracional, extraordinário e diferenciado.

RUNAR NORHEIM (TROMSØ IL)
RUNAR NORHEIM

Apesar de não ter ido além da décima segunda posição na Eliteserien em 2021, o Tromsø IL nunca pareceu realmente em perigo de descer de divisão em qualquer altura. Na verdade, a tabela é mentirosa no que diz respeito à equipa do Norte da Noruega que foi mesmo uma das que melhor futebol praticou e que face aos valores esperados em matéria de golos e pontos, mais ficou a dever em termos de resultados. Em suma: o Tromsø valeu muito mais do que a posição final deixa antever. Uma das grandes razões para o sucesso da equipa recém-promovida prendeu-se com a oportunidade dada a jovens talentos e criatividade/liberdade promovida por Gaute Helstrup. Jogadores como August Mikkelsen, Isak Amundsen, Totland ou Ebiye estiveram entre os jovens de maior protagonismo na competição e até Runar Norheim teve espaço para se estrear aos 16 anos. Internacional norueguês pelo escalão Sub-16, Norheim é um dos jogadores mais promissores do país e face à provável saída de vários jogadores na equipa polar, é muito provável que tenha em 2022 oportunidades para cimentar o seu lugar na equipa, num modelo que muito favorece as suas características de avançado móvel, criativo, técnico e veloz.

OSCAR VILHELMSSON (IFK GÖTEBORG)
OSCAR VILHELMSSON

Numa temporada de menos a mais por parte do histórico IFK, foi preciso o clube da segunda cidade sueca enfrentar o medo real da despromoção para finalmente entrar nos eixos. A queda ao 13º lugar à 22ª jornada deixou o Gotemburgo bem perto de um lugar de despromoção, mas desde então o clube praticamente só soube vencer apenas parando no oitavo lugar. O histórico emblema azul e branco terminou a temporada em alta numa ascensão que coincidiu também com a aposta no jovem avançado sueco de 18 anos. Vilhelsson trouxe a irreverência, criatividade, capacidade técnica e mobilidade que faltava ao ataque do Gotemburgo, beneficiando também Marcus Berg que se encontrou com a melhor forma e, mais do que isso, com os golos, durante as últimas sete jornadas da temporada depois de um período de seca nas semanas anteriores. Com uma dupla altamente complementar, o Gotemburgo volta a poder encarar a temporada com otimismo e em Vilhelmsson tem um possível candidato a jovem jogador do ano na Allsvenskan. Afinal, os dois golos e assistência rubricados nas últimas quatro jornadas da temporada deixaram água na boca dos adeptos azul e brancos e são uma promessa de muitos outros para 2022.

YASIN AYARI (AIK)
YASIN AYARI

Pouca coisa beneficiou tanto o futebol sueco nas últimas duas décadas do que o multiculturalismo que se estabeleceu nas grandes metrópoles da Suécia. Ibrahimovic é naturalmente o expoente máximo, mas nos arredores de Estocolmo, em Solna, o AIK tem feito dele uma bandeira e ao longo dos últimos anos têm sido vários os jogadores de diferentes ascendências a assumir-se com preponderância e potencial no clube. Yasin Ayari promete ser o próximo. O talentoso médio de 18 anos estreou-se oficialmente pelo clube em 2020, mas foi em 2021 que foi ganhando o seu espaço na equipa de Bartosz Grzelak, principalmente, durante a segunda metade da temporada. Perante a provável saída de Bilal Hussein do clube este inverno, Ayari sobe degraus na hierarquia e esta pode muito bem ser a sua temporada de afirmação, sendo que a sua versatilidade e criatividade permitem-lhe ser opção ao centro do terreno, mas também nos corredores de ataque. De ascendência tunisina e internacional sueco nos escalões Sub-16 e Sub-19, Ayari não é o único da família a prometer voos muito altos já que o irmão, Taha Ayari, de 16 anos, é também um dos mais talentosos teenagers do futebol sueco atual.

ODIN THIAGO HOLM (VÅLERENGA IF)
ODIN THIAGO HOLM
Internacional norueguês dos Sub-15 aos Sub-18, Odin Holm é um dos médios ofensivos/criativos mais promissores da próxima geração do futebol norueguês. Aos 18 anos, o jovem que mudou legalmente o próprio nome para homenagear o ídolo Thiago Alcântara é já uma peça importante no xadrez do Vålerenga e a possível saída de Osame Sahraoui do clube nas próximas semanas pode abrir-lhe a porta da afirmação total já em 2022. O jovem natural de Trondheim já deixou a sua marca esta temporada e apesar de a ter começado lesionado, não deixou de contribuir com três golos e uma assistência nos 842 minutos que jogou. Pela qualidade técnica, visão de jogo, capacidade de organizar e pautar tempos de jogo e ainda para impactar no último terço, Odin Holm é um talento excecional e promete nos próximos anos beliscar a hegemonia criada por Martin Ødegaard como figura central da seleção norueguesa ou, mais do que isso, acrescentar ainda mais qualidade a um conjunto que promete atingir outro patamar nos próximos anos.

DAVID MØLLER WOLFE (SK BRANN)
DAVID MØLLER WOLFE
A temporada não foi particularmente memorável para o SK Brann tendo terminado a mesma entre os despromovidos à segunda divisão da Noruega. Ainda assim, o futuro não é totalmente negro em Bergen e a quantidade de jovens talentos lançados esta época por Eirik Horneland permitem ao clube encarar 2022 com expetativas de regresso imediato à Eliteserien. Num plantel recheado de jovens de grande talento como Ole Kolskogen ou Aune Heggebo, David Moller Wolfe foi um dos que mais se destacou em 2021. Aos 18 anos, Wolfe já tinha deixado a sua marca na segunda divisão ao serviço do Åsane com uma segunda metade de época impressionante em 2020, e foi durante a reta final de 2021 que mais se destacou ao serviço do Brann. Quando teve oportunidade, diga-se. Internacional jovem pela noruega nos escalões Sub-17, Sub-18 e Sub-20, Wolfe é uma das grandes esperanças futuras do país na posição de lateral esquerdo e tal como muitos dos perfis modernos na posição destaca-se principalmente no capítulo ofensivo. Rápido, ágil e com capacidade de decisão, Wolfe é um lateral que oferece imensa profundidade ao flanco, que desequilibra como poucos no último terço e que impressiona pela capacidade de trabalho no momento de recuperação de bola e em situações de contrapressão. Um lateral talhado para as grandes competições e grandes equipas, portanto.

SYVER AAS (ODDS BK)
SYVER AAS
Apesar de contar com alguns dos mais interessantes e promissores jovens jogadores a atuar na primeira divisão norueguesa (John e Josh Kitolano, Conrad Wallem, Filip Jørgensen, Odin Bjørtuft) a temporada não foi particularmente feliz para o Odd. O conjunto de Skien não foi além do 13º lugar e chegou mesmo a ameaçar a descida de divisão. Ainda assim, não foi por isso que Jan Frode Nornes deixou de encontrar espaço para a juventude lançando para o palco mediático mais um nome que faz sonhar os adeptos noruegueses: Syver Aas. O jovem médio, internacional Sub-15, Sub-16 e Sub-17 pela Noruega, estreou-se na liga do seu país aos 16 e, aos 17, promete assumir-se no onze do Odd tal como Jørgensen o fez com a sua idade. Ao lado de Jørgensen e Kitolano, Aas tem tudo para formar um meio-campo de culto em 2022 aliando qualidade técnica, criatividade, visão de jogo e capacidade para chegar à área adversária. Envolvido já em onze encontros do Odds BK em 2021 e já com um golo marcado naquela que foi a sua temporada de estreia, 2022 promete ser uma época de afirmação para Aas que, em tempos, chegou a treinar à experiência na Juventus.

YANNICK AGNERO (FC NORDSJÆLLAND)
YANNICK AGNERO
De Sulemana Kamaldeen em 2020, a Andreas Schjelderup em 2021, todos os anos o FC Nordsjælland tem tirado uma prenda do sapatinho após o Ano Novo. Oriundo da Academia Right to Dream que tantos talentos tem dado ao clube, Yannick Agnero pode ser o próximo. O jovem marfinense de 18 anos chegou ao clube em agosto e apesar de já se ter estreado pela equipa principal dos Tigres numa única participação em outubro, tem sido ao serviço da equipa jovem que tem feito a sua adaptação ao futebol europeu. Aí, porém, tem arrasado e mostrado ser exatamente aquilo que está a faltar ao Nordsjælland em 2021/22: um avançado goleador. Pelos U19 do clube de Farum, Agnero leva seis golos em onze jogos e apresenta um perfil que não existe no plantel principal às ordens de Flemming Pedersen e que vem obrigado sucessivamente à adaptação de jogadores à frente de ataque como acontece, por exemplo, com Simon Adingra. Não seria, por isso, uma surpresa que Agnero se assumisse na equipa principal dos Tigres ainda esta temporada. O Nordsjælland tem tido sérias dificuldades em marcar golos e irá regressar para a segunda metade da época com o quarto pior registo ofensivo da competição. Por esta altura, o icónico clube dinamarquês está a apenas seis pontos de distância de uma posição de despromoção e a necessidade de golos poderá muito bem antecipar a entrada de Agnero no onze. E, dado o que se tem visto no campeonato Sub-19 da Dinamarca, o mais provável é que seja para pegar de estaca.

Comentários

POSTS RELACIONADOS

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}