Pages

FILIP RØNNINGEN JØRGENSEN

nov. 10, 2020 0 comments
FILIP RØNNINGEN JØRGENSEN

FILIP RØNNINGEN JØRGENSEN É O PROTÓTIPO PERFEITO DO MÉDIO DEFENSIVO MODERNO E IDEALIZADO POR SERGIO BUSQUETS. A UMA INTELIGÊNCIA POSICIONAL ASSINALÁVEL, JØRGENSEN JUNTA UMA COMPOSTURA, CALMA E SEGURANÇA IMPRÓPRIAS DE UM JOGADOR TÃO JOVEM, BEM COMO UM REPORTÓRIO DE PASSE AO NÍVEL DE UM QUALQUER QUARTERBACK NORTE-AMERICANO.

Na Noruega atual o futebol aos mais jovens pertence. Com uma das gerações mais talentosas do futebol mundial a surgir e, seguramente, a que parece ser a geração dourada do país a nascer, a Noruega promete um futuro de grandes sucessos. É que se a atual, com Haaland, Odegaard, Berge, Hauge e Ajer já promete, são os jogadores que estão a surgir um pouco por todo o lado que vão dar consistência aos anteriores. Filip Rønningen Jørgensen é um desses nomes. Em temporada de estreia ao serviço do Odds BK, Jørgensen assumiu a base de triângulo de meio campo da equipa de Skien aos 18 anos com uma maturidade, consistência e entendimento do jogo que não se via no país desde a saída de Sander Berge mas que teve em 2020 uma prova de vitalidade.

2020 foi o ano em que o paradigma futebolístico norueguês mudou para sempre. Os primeiros sinais já tinham sido dados com a ascensão de alguns dos mais talentosos futebolistas jovens europeus da atualidade (aos já referidos é preciso recordar ainda nomes como Mathias Normann, Håkon Evjen ou Kristian Thorstvedt, por exemplo), mas a dimensão do feito atingiu níveis épicos esta temporada com o surgimento e confirmação de vários outros nomes que prometem dotar a seleção norueguesa de opções de grande qualidade, mas, acima de tudo, dotar a seleção norueguesa de uma profundidade de opções como poucos países no Mundo possuem atualmente.

Filip Rønningen Jørgensen foi uma das surpresas e revelações da temporada 2020 na Noruega. Em estreia absoluta no futebol profissional, o jovem de 18 anos não se atemorizou nem acusou a pressão do momento e, mais do que isso, mostrou ser um dos médios defensivos mais compostos, maturos e inteligentes da competição. Um feito particularmente notável dado o facto de esta ser uma das posições que melhor demonstram a evolução do futebolista típico na Noruega. Os tempos de médios defensivos batalhadores e de cariz gregário já lá vão. Agora, o tempo é dos que pensam e vêem o jogo de outra forma. A evolução dos resultados da seleção norueguesa não é coincidência.

Sem passado nas seleções jovens norueguesas e sem qualquer minuto ao serviço do Odds BK até junho de 2020, Filip Rønningen Jørgensen era um perfeito desconhecido à entrada para a temporada que agora findou. Hoje a história é bem diferente e o jovem médio é um dos jogadores mais cotados e desejados da competição. A par de Johan Hove ou Osame Sahraoui, muito possivelmente o jogador com o teto mais alto da competição atualmente. E se em 2020 já foi figura ao participar em 23 dos 30 encontros do Odds BK – o décimo jogador mais utilizado na jovem e entusiasmante equipa norueguesa -, 2021 promete assumir-se como o ano de explosão de Filip Rønningen Jørgensen. O aviso foi feito.

Filip Rønningen Jørgensen é o protótipo perfeito do médio defensivo moderno e idealizado por Sergio Busquets. A uma inteligência posicional assinalável que lhe permite estar no sítio certo quase sempre e, por isso, sem necessitar de ser exuberante atleticamente, Filip Rønningen Jørgensen junta uma compostura, calma e segurança impróprias de um jogador tão jovem. Tecnicamente perfeito, Jørgensen sente-se particularmente confiante com a bola nos pés e organizando o jogo da sua equipa a partir de terrenos recuados. Mestre do passe, o jovem médio do Odds BK tem um reportório de distribuição de bola como poucos no jogo atual e ainda menos dentro do seu campo etário. Filip Rønningen Jørgensen é um quarterback a jogar futebol.

Filip Rønningen Jørgensen terminou a temporada 2020 com uma taxa de eficácia no passe superior a 88%. Sempre que esteve em campo, o jovem de 18 anos foi figura central do momento ofensivo da sua equipa tendo terminado a época como um dos jogadores da competição com mais passes, em média, por 90 minutos de jogo, bem como um dos dez jogadores com maior eficácia em passes efetuados para o último terço do campo. A capacidade para assumir o jogo, resistir à pressão e encontrar mecanismos de resposta imediata aos ajustes adversários são elucidativos da maturidade impressionante de Jørgensen em campo.

Apesar de grande parte da posse de bola da sua equipa lhe passar pelos pés, raramente Jørgensen cometeu erros e permitiu recuperações de bola aos adversários. O jovem médio do Odds BK é o tipo de jogador que não cede sob pressão e mantém a compostura e os níveis de alerta e concentração bem altos ao longo de todo o encontro. Algo muito pouco habitual em jogadores tão jovens quando confrontados com o futebol de elite e o futebol profissional e que permitem potenciar uma chegada tranquila ao futebol de topo em pouco tempo para Jørgensen. Controlar tempos de jogo e espaços em campo é, a par da capacidade de execução/passe o grande atributo do jovem norueguês.

Jørgensen joga de cabeça erguida. Está sempre um par de jogadas mais à frente do que toda a gente em campo, antecipa o que ainda não aconteceu, e isso é determinante para o controlo total das operações, permitindo-lhe nunca tomar a decisão errada. Algo facilitado pela qualidade técnica que possui e que lhe permite ter um primeiro toque de excelência e ao qual certamente terá sido obrigado por não ter o atleticismo de outros adversários particularmente ao nível da explosividade e capacidade de aceleração, algo que poderá jogar contra si num modelo mais baseado em transições e menos de posse de bola.

Aos 18 anos, é natural que o desenvolvimento físico de Jørgensen não esteja ainda concluído e os apenas 68 quilos para o seu metro e setenta e cinco são sintomáticos de um jogador light-weight que acaba por perder alguns duelos em função disso. Porém, desengane-se o que pensar que apesar do seu perfil franzino e características de médio defensivo construtor/técnico e não destruidor/atlético, Jørgensen não é um defensor tenaz. O médio do Odds BK terminou a temporada com registos acima da média na competição em matéria de duelos defensivos disputados por 90 minutos e de eficácia nos mesmos, bem como de recuperações de bola por 90 minutos, de recuperações de bola em meio campo ofensivo por 90 minutos, de duelos de segundas bolas por 90 minutos e ainda de interceções de bola em meio campo ofensivo.

Apelidado pelo companheiro de equipa Elba Rashani como o “Sergio Busquets do Odds BK”, Filip Rønningen Jørgensen assume-se como o médio defensivo moderno que tem em nomes como Rodri o padrão da nova geração e que tem em Patrick Berg o esplendor máximo dentro da própria competição. Um médio defensivo que se define pela palavra compostura/sobriedade e que além de ser um defensor muito capaz pela inteligência que tem em campo, mais do que pela sua capacidade atlética, é determinante para uma primeira fase de construção limpa e tranquila da sua equipa. Um organizador de jogo em terrenos recuados e que cria desequilíbrios desde a primeira fase de construção, capaz de colocar a bola onde muito bem entender.

Comentários

POSTS RELACIONADOS

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}