Social Media Icons

Top Nav

AIMAR SHER

dez. 16, 2020 0 comments

AIMAR SHER

DE PABLO AIMAR HERDOU NÃO SÓ O NOME PRÓPRIO, MAS TAMBÉM A HABILIDADE ÍMPAR DE FAZER MAGIA E COISAS ACONTECEREM SOBRE UM RELVADO DE FUTEBOL. AOS 17 ANOS CAIU COMO UM METEORITO NO FUTEBOL SUECO E É AGORA SEGUIDO POR MEIO MUNDO.

Se nos cingíssemos sempre aos chavões habituais do futebol, Pelé nunca teria jogado, e bisado, numa final de um Campeonato do Mundo com 17 anos como fez em 1958. Afinal, faltava experiência ao então menino do Santos. Aimar Sher não é Pelé, naturalmente, mas é apenas mais um exemplo de que ter experiência não é tudo no futebol. Qualidade, acima de tudo, é o que distingue os grandes jogadores e, dentro destes, a mentalidade certa diferencia um dos demais. Aimar Sher é um desses casos: aos 17 anos é já um jogador diferenciado.

O nome, como o algodão, não enganam. Nascido no Iraque há 17 anos, rumou com a família em direção à Suécia quando tinha apenas quatro anos. O pai, admirador profundo de Pablo Aimar, então jogador do Valência CF, não foi de meias medidas: o filho seria uma homenagem ao mago argentino. Sher vem da família, Aimar, do coração. O destino é irónico. Afinal, Aimar Sher nasceu seis meses depois da Suécia empatar a um golo frente à Argentina, de Pablo Aimar, no Mundial 2002, um resultado que valeu o apuramento para os oitavos de final da competição aos nórdicos. Anos mais tarde foi precisamente rumo à Suécia que a família viajou para fugir da sempre incerta vida em solo iraquiano. O ciclo estava completo.

Aimar Sher e a família estabeleceram-se então em Estocolmo e foi ao serviço de pequenos clubes como o Mälarhöjdens IK e o Enskede IK que o pequeno Aimar começou a dar os primeiros passos no futebol até chamar à atenção o grande Hammarby IF, em 2014. Pelo Bajen sagrou-se campeão nacional Sub-17 em 2019, o mesmo ano em que fez a estreia oficial pelo clube. Tinha 16 anos e nove meses quando fez o seu primeiro jogo na Allsvenskan, idade que o tornou no mais jovem debutante na competição ao serviço do Hammarby.

Aimar Sher ainda não era, sequer, profissional quando se estreou pelo Hammarby na liga sueca. O primeiro vínculo “a sério” para o jovem sueco-iraquiano só chegou um mês depois. Um pouco mais de um ano, Aimar Sher passou de jovem “amador”, a uma das maiores promessas do futebol nórdico e apesar de ter apenas 17 anos já soma duas internacionalizações Sub-19 pela Suécia. Mais seriam, certamente, não fosse a pandemia ter encurtado a agenda dos escalões mais jovens a nível internacional.

Depois de apenas uma aparição ao serviço do Hammarby na Allsvenskan em 2019, Aimar Sher assumiu-se como figura no Bajen já a temporada 2020 ia lançada. As primeiras semanas da época até foram passadas ao serviço do IK Frej na terceira divisão, clube satélite do Hammarby na competição. Se na primeira metade da temporada ainda foi dividindo presenças entre o Hammarby e o IK Frej, tornou-se figura central no conjunto orientado por Stefan Billborn nas derradeiras dez jornadas da temporada. Tempo suficiente para encantar e fazer esquecer Darijan Bojanic, uma das grandes figuras da equipa e que, entretanto, se lesionara.

A ascensão de Aimar Sher à primeira equipa do Hammarby foi um bem que aconteceu por mal. Não fora a lesão de Bojanic e talvez Aimar Sher nunca tivesse tido a oportunidade para marcar a sua posição num dos eternos candidatos e quase sempre dececionantes clubes do futebol sueco. Sher, porém, agarrou a oportunidade com ambas as mãos e rapidamente se estabeleceu como um dos jovens mais requisitados da Liga, tendo terminado a época a ser seguido por clubes como o AZ, o Rennes, o Brighton & Hove Albion, o VfL Wolfsburgo ou o Borussia Mönchengladbach.

Com o mago argentino, Aimar Sher partilha muito mais do que apenas o nome próprio. Tal como Pablo, o jovem sueco é dotado de uma criatividade, visão de jogo e qualidade de passe ímpares e, mais do que isso, de uma inteligência e de uma maturidade assinaláveis para a idade. Mesmo pisando terrenos bem mais recuados do que Pablo Aimar, Aimar Sher tem o perfil de criatividade e visão de jogo que tornaram o médio argentino num dos maiores jogadores de culto nas últimas décadas de futebol.

Aimar Sher é, então, um meio-campista organizador de jogo, que habitualmente povoa as áreas mais recuadas do campo para avançar o jogo, mas pode também ser encontrado em áreas mais altas para colocar a ofensiva da sua equipa em órbita. Sher é um cérebro, um pensador de jogo, seja numa primeira fase de construção, seja já em etapas de definição, mas sempre particularmente perigoso quando vê o jogo de frente e não de costas para a baliza.

Em 2020, Aimar Sher foi o segundo jogador Sub-21 da Allsvenskan com mais passes efetuados para o último terço, em média, por 90 minutos. Um desequilibrador por via do passe, tendo sido o décimo mais eficaz nesse campo ao acertar 75.27% dos passes que tentou para as zonas mais avançadas do terreno. Foi, além disso, o oitavo jovem jogador com maior média de passes criativos por jogo, tendo terminado a época com uma taxa de eficácia no passe progressivo de 79.27%. Só sete jogadores Sub-21 registaram taxas de acerto superiores neste campo.

Todos estes registos definidores de um excelente passador da bola não seriam possíveis sem uma habilidade especial. Aimar Sher é muito forte na resistência à pressão e na saída limpa em espaços curtos. Sintomático disso mesmo é o facto de ter sido o quinto jogador Sub-21 com melhor taxa de eficácia no drible – o 27º melhor em toda a Liga nesse campo -, registo determinante para que pudesse ter vencido 53.68% dos duelos que encetou, valor muito acima da média na competição.

Só cinco jogadores Sub-21 venceram mais duelos no chão, no global, do que Aimar Sher e qualquer um deles jogou mais de mil minutos mais que o jovem do Hammarby. Igualmente, Sher foi o 12º Sub-21 com mais desarmes efetuados tendo jogado praticamente metade dos minutos dos adversários, registo que abre expetativas para uma temporada dominadora em 2021 caso o jovem médio se mantenha na Liga Sueca. Registos demonstrativos da dimensão defensiva e ofensiva de Aimar Sher, um médio completíssimo apesar dos jovens 17 anos de idade.

Comentários

Related Posts

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}

Recent Comments

Formulário de Contacto