Social Media Icons

Top Nav

FILIP DAGERSTÅL

jan. 14, 2021 0 comments
FILIP DAGERSTÅL

SÓLIDO DEFENSIVAMENTE E COMPOSTO COM A BOLA NOS PÉS, DAGERSTÅL É UM VETERANO COM GELO A CORRER-LHE NAS VEIAS E EM CORPO DE JOVEM. O TÍPICO DEFESA CENTRAL MODERNO, DE EQUIPA GRANDE E ÀS PORTAS DA ELITE.

2015 foi um ano especial para o futebol sueco. Pela primeira vez na história do país, uma seleção de futebol do mesmo venceu uma competição internacional em que participou. Portugal viu-o de perto. Afinal, foi a seleção portuguesa que a Suécia bateu nas grandes penalidades e já antes disso, na fase de grupos, as duas seleções empataram a um golo. Por esta altura, Filip Dagerstål ainda aguardava a sua temporada de afirmação ao serviço do IFK Norrköping, mas dois anos depois foi um dos jogadores que integrou a comitiva sueca na defesa do título durante o Europeu de 2017.

Na Polónia, a Suécia não foi além da fase de grupos, mas um jogador em particular saltou para a ribalta com um europeu praticamente perfeito mesmo que até nem tenha ido a jogo no terceiro encontro da primeira fase da competição. A exibição de Dagerstål frente a Inglaterra, em particular, deixou água na boca e transformou o jovem defesa central do IFK Norrköping como um dos jogadores a seguir com particular atenção a partir daí. 2017 foi por isso um ano determinante na vida de Dagerstål. Depois de ter feito a sua estreia pelo Peking já em 2014, só começou a ser uma opção regular em 2016, mas foi em 2017 que pegou de estaca no onze do histórico emblema sueco.

Hoje com 23 anos é um dos mais credenciados jovens defesas centrais do futebol sueco. Associado a alguns dos bons clubes da segunda linha do futebol europeu – Lech Poznan, Sampdoria, Lecce… -, segundo rumores na imprensa esteve na agenda do Sporting na pré-temporada de 2020/21. Um defesa central moderno, na linha de Victor Lindelöf, que se pauta pela elegância e estímulos ofensivos que oferece à posição. A qualidade técnica que possui, aliado à capacidade para queimar linhas através da condução e do passe permitiram a Dagerstål jogar algumas vezes em posições mais adiantadas e são características que o potenciam para patamares muito elevados no futuro. Veja-se, por exemplo, a carreira do antigo defesa central do Benfica, em tudo semelhante.

Natural de Norrköping, Filip Dagerstål nunca conheceu outro clube na carreira que não o IFK local, mas deverá ser uma das vítimas da péssima gestão do clube que certamente irá levar a uma debandada nas próximas semanas. Tal como Ísak Pettersson, Dagerstål deverá deixar o clube em final de contrato, duas saídas complicadas de colmatar por parte do clube, quer em termos desportivos, mas principalmente em termos financeiros ao não permitirem um encaixe significativo como certamente aconteceria em caso de venda. Fundamental no clube sueco que chegou a ameaçar o título em 2020 antes da completa implosão que mais tarde se veio a explicar pela instabilidade vivida no seio do mesmo, Dagerstål deverá deixar o Norrköping com praticamente 150 jogos pelo clube e quatro temporadas como titular absoluto no mesmo.

Apesar dos 23 anos de idade, Filip Dagerstål é já um central rodado e com experiência ao mais alto nível e em ambiente de constante pressão. Sólido defensivamente e muito forte com a bola nos pés, o central sueco tem o típico perfil do central moderno e de equipa grande – a taxa de eficácia no drible de 63% em 2020 é sintomática da capacidade para sair a jogar. A sua maturidade em campo salta à vista não só em matéria de liderança, mas principalmente na forma como se posiciona em campo e aborda os lances de maior perigo. Sempre bem posicionado, sempre concentrado, raramente se obriga a intervenções de último recurso e em claro desespero.

Forte nos duelos e no jogo aéreo – é alto e robusto -, terminou a temporada 2020 com uma taxa de eficácia de 63% em duelos aéreos, mas é talvez a eficácia no passe que mais o define como jogador ao ter concluído 93% dos passes que tentou (96% em meio campo próprio e 83% em meio campo ofensivo), mostrando ao longo das duas últimas temporadas ser um jogador determinante para o início da construção da sua equipa. Se em 2020 Dagerstål concluiu 50% dos passes longos que tentou, em 2019 os mais de 67% de eficácia nesse campo foram especialmente impressionantes. E ainda que os seus números defensivos não pareçam impressionar à primeira vista, é preciso perceber que pela forma de jogar e inteligência posicional de Dagerstål este não é um jogador que vá acumular índices elevados de tackles, enquanto o seu número de interceções é limitado pela organização coletiva defensiva da equipa do Norrköping.

Ainda assim, o jovem defesa central do Peking terminou a época à porta do top-10 em matéria de desarmes concluídos e cortes efetuados. Foi também um dos dez jogadores da Allsvenskan com mais bloqueios e é aí que se percebe a cultura tática e posicional de Dagerstål. O jovem defesa central do Norrköping terminou ainda a temporada com percentagens a rondar os 64% em matéria de duelos no chão ganhos, disputas de bola vencidas e duelos aéreos ganhos, sintomático da solidez defensiva que também oferece, tendo sido um dos defesas da competição com mais disputas de bola vencida durante 2020.

Natural de Norrköping, Filip Dagerstål nunca conheceu outro clube na carreira que não o IFK local, mas aos 23 anos e fruto da instabilidade vivida no clube, a saída para outro clube já durante o mercado de inverno parece inevitável. Sólido defensivamente e composto com a bola nos pés, Dagerstål é um veterano em corpo de jovem. O típico defesa central moderno, de equipa grande e às portas da elite.

Comentários

Related Posts

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}

Recent Comments

Formulário de Contacto