Social Media Icons

Top Nav

SIMON OLSSON

fev. 5, 2021 0 comments
SIMON OLSSON

MAIS DO QUE QUALQUER OUTRA COISA, OLSSON É UM MAESTRO, UM ORGANIZADOR DE JOGO, UM CÉREBRO, UM PENSADOR DE FUTEBOL. UM JOGADOR QUE MARCA OS RITMOS E CONTROLA O TEMPO. TECNICAMENTE IRREPREENSÍVEL, OLSSON É UM DOS MAIORES DESEQUILIBRADORES DA LIGA SUECA ATRAVÉS DO PASSE.

Aos 23 anos, Simon Olsson é um rapaz experiente como poucos. Pelo IF Elfsborg, o jovem médio sueco leva quatro temporadas ao mais alto nível, tendo-se estreado pelo clube já no ido ano de 2016. Ao serviço do emblema amarelo e preto, Olsson leva já mais de uma centena de jogos na primeira divisão sueca, encontrando-se em ponto de rebuçado para uma subida de patamar depois de ter protagonizado a melhor época da carreira em 2020, ajudando o Elfsborg a terminar a temporada na segunda posição.

A classe e a elegância andaram sempre de mãos dadas com Simon Olsson e apesar de não ser o médio mais agressivo que possa existir, o crescimento do jovem sueco do ponto de vista defensivo esta temporada foi notório. Cobriu mais terreno do que o habitual numa omnipresença impressionante, evidenciando-se pela quantidade de recuperações de bola que efetua por jogo. Olsson move-se nas sombras, em pezinhos de lã, e o seu contributo defensivo passa muitas vezes despercebido por não parecer um jogador intenso, mas os seus números mostram algo bem diferente da impressão que é dada ao vê-lo jogar.

Ao longo das últimas três temporadas, nenhum médio na Liga Sueca efetuou tantas recuperações de bola, em média, por 90 minutos, quanto as recuperadas por Simon Olsson, mesmo não sendo esse, de todo, o seu principal atributo. Se sem bola Olsson não é um médio que aprecie particularmente de ir ao choque e correr atrás dos adversários preferindo equilibrar posicionalmente, é com a bola nos pés que o médio do Elfsborg se sente mais confortável. Olsson nasceu para jogar futebol, não, necessariamente, para correr, apesar das claras melhorias no seu jogo sem bola ao longo dos últimos meses.

Com bola, porém, Olsson tem uma classe distintiva e ganha força extra. Com um controlo de bola excecional e um primeiro toque praticamente infalível, aliados a um equilíbrio, agilidade e capacidade de drible impressionantes, Simon Olsson é muito provavelmente o médio que melhor resiste à pressão na liga sueca e ao qual mais difícil é retirar a bola. Além disso, Olsson é também um dos melhores passadores da bola no campeonato sueco, num conjunto de atributos que fazem recordar o antigo médio belga do Tottenham, Mousa Dembélé, ou, mais recentemente, o ex-Nápoles e atual homem do Chelsea, Jorginho.

Simon Olsson é um jogador perdido no tempo. Apesar de nem sempre pisar esses terrenos, transporta-nos para o tempo dos números dez, mesmo que para isso tenha de recuar para junto dos defesas para iniciar a construção da sua equipa. E quão bem o faz. Mais do que qualquer outra coisa, Olsson é um maestro, um organizador de jogo, um cérebro, um pensador de futebol. Um jogador que marca os ritmos e controla o tempo. Tecnicamente irrepreensível, Olsson é um dos maiores desequilibradores da liga sueca através do passe.

A falta de rasgo no último terço é, porventura, a grande limitação de Simon Olsson e aquilo que impossibilita que o médio do Elfsborg tenha já subido um patamar na sua carreira. Olsson não tem chegada à área, raramente remata à baliza e os quatro golos apontados esta temporada na Liga Sueca são uma anormalidade estatística na sua carreira – o máximo era um par de golos, ainda que também seja verdade que em nenhum ano anterior Olsson tenha jogado tão perto da área como fez em 2020.

Certo é que em 2020 Simon Olsson voltou a ser um dos jogadores com maior taxa de eficácia no drible e que mais passes para finalização e para o último terço efetuou, quer no global, quer em média por 90 minutos. Foi também um dos jogadores com mais through passes, e eficácia nesse aspeto, da Liga, destacando-se, aliás, pela taxa de eficácia em todo o tipo de passes que caracterizam um jogo de futebol, principalmente, em matéria de passes mais criativos e com impacto claro na criação de oportunidades de golo para a sua equipa, tendo sido um dos quatro jogadores com maior taxa de eficácia no passe progressivo da Allsvenskan em 2020.

Só o tempo dirá se as últimas semanas da temporada 2020, que coincidiram com uma veia goleadora pouco habitual, resultam de mais um capítulo de evolução no perfil de Simon Olsson, mas o mais provável é que seja em terrenos mais recuados que o médio sueco se venha a evidenciar no futuro. Afinal, com a bola nos pés, a pensar e a distribuir o jogo, com uma classe distinta e incomparável, Simon Olsson é um dos mais interessantes médios ainda a jogar longe da elite do futebol.

Comentários

Related Posts

{{posts[0].title}}

{{posts[0].date}} {{posts[0].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[1].title}}

{{posts[1].date}} {{posts[1].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[2].title}}

{{posts[2].date}} {{posts[2].commentsNum}} {{messages_comments}}

{{posts[3].title}}

{{posts[3].date}} {{posts[3].commentsNum}} {{messages_comments}}

Recent Comments

Formulário de Contacto